O Sertanejo e suas estratégias de marketing cada vez mais inteligentes

O Sertanejo e suas estratégias de marketing cada vez mais inteligentes

#compartilhe Share on Facebook11Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on Tumblr0

Foi numa época nem tão distante assim que um artista só preocupava-se em lançar uma música com sua voz que era suficiente para cair nas graças do público. Mas hoje, todo e qualquer lançamento tem que ser muito bem pensado em várias áreas para que as estratégias sejam eficientes e cada vez mais surpreenda o público, que de alguma forma tornou-se exigente demais e sabe aonde que está o principal ponto que a cada dia ganha um peso maior nos lançamentos??? A estratégia de marketing sem sombra de dúvidas.

Como o mercado hoje acaba virando as páginas rapidamente de uma música para outra, de um videoclipe para outro, de um projeto todo (cd e dvd) para outro, claro que isso justamente pela força da internet e das redes sociais, toda e qualquer notícia que envolva um nome do artista alastra-se rapidamente até o público final.

Antigamente um artista demorava até dois anos para gravar um disco novo, escolhia algumas faixas de trabalho e as rádios tocavam a exaustão cada música por até 6 meses sem interrupção. E como era chato isso né, vamos ser bem sinceros, e ainda o mercado das fonográfico envolvido nas rádios não notou a necessidade de reciclar toda a playlist de sua programação por no mínimo a cada três meses pelo menos. E porque falo isso??

Falo por quê sempre navegando entre uma estação qualquer ou outra sempre nos deparamos com músicas de outras gerações em horários de pico, quebrando totalmente o ritmo da programação, e deveriam notar que a sequência das músicas hoje é tão mais importante que a própria playlist para reter o público em sua frequência, e como esse item é precário no nosso país, acaba abrindo espaços para todas as plataformas digitais cada vez mais fortes, e quando eu menciono “digitais” incluo nisso tudo que de alguma forma tem relevância, hoje em dia a notícia seja ela escrita, em vídeo ou em qualquer outro formato torna-se tão importante quanto o aúdio e o vídeo aliando sonoridade e imagem do artista. Viu como o marketing começa a ser pensado desde o início de todo projeto?

No último ano vimos muitos exemplos de projetos cada vez mais diferentes no mercado sertanejo como: No meio de um milharal (Fernando e Sorocaba), gravado em Miami, nos Estados Unidos (Wesley Safadão), em estúdio com homenagem as mulheres em referência a ONU (Luan Santana), até em favela no Rio de Janeiro (Naiara Azevedo) e no alto de prédio surgiu (Hugo Del Vecchio) e até numa chalana com churrasco (Trio Parada Dura) e tantos outros que saíram, e a maioria sempre em formato acústico, seja em estúdio ou lugares totalmente intimistas. Assim as estratégias de marketing tornam-se cada vez mais importantes.

Já vimos lançamento simultâneo em salas de cinema no país todo de projeto todo, vimos muitas ações de lançamento também em videoclipes, essa área que mais cresce na nossa música, trazendo para si a obrigação de um roteiro bem escrito e definido de qualquer clipe e entre os roteiros volta a estratégia de marketing, tem que ter dentro do projeto algo que fixe a atenção do público e depois a obrigação de reter uma certa repercussão ou assunto sobre o clipe, seja com uma participação engraçada, um roteiro divertido e tantas outras vertentes, como se fossemos uma Hollywood Sertaneja e tivesse no fim do ano premiação para os envolvidos.

Normalmente as equipes de marketing separam para as datas de início de mês os lançamentos, o que antes era uma disputa do dia certo para não concorrer com outro artista que também lance algo e possa dividir a repercussão do lançamento, agora entrou a lei do vence quem for mais inteligente, independente de “orçamento”, tamanho do projeto ou aquela regra básica “O Menos é Mais”.

Então porque me apareceu a idéia dessa matéria? Serei claro na minha explicação abaixo:

Notei quem em dois dias o mercado sertanejo lançou músicas, clipes, os chamados EP’s, disco completo nas plataformas digitais e ainda ação de marketing inteligentíssima envolvendo a EMBRAERO (quem comanda toda a nossa aviação).

“Os projetos saíram do zero e atingiram os céus”, conforme as equipes dos escritórios de marketing pensaram, projetaram, calcularam os custos e jogaram na prateleira para que o público possa escolher o seu preferido, só nos provando cada dia mais que não estamos em tempo aonde só a música basta.

Podem notar que os esforços não foram baixos entre todas as pessoas envolvidas na gestão de carreira dos artistas. Temos que aplaudir todos esses esforços, admirar o belíssimo trabalho das equipes cada vez mais inteligentes e antenadas com as mudanças do mercado, mas temos que aplaudir de pé mesmo aqueles que usam a regra “O Menos é Mais” em época de dinheiro curto, e entre esses nossos aplausos fica aqui o registro do projeto de um clipe com roteiro bem escrito e bem dirigido em que a equipe teve a grande sacada de usar a imagem de um dos maiores virais de internet em todos os tempos como “O Negão da Piróca” com uma pessoa com alto índice de aceitação do público como o Marrone, da dupla com o Bruno.

Uma cena de 2 ou 3 segundos foi o assunto do dia em que Marrone interpretou o personagem “Negão da Piróca” sem nenhuma apelação (seja de gênero, causa ou até sexual ou algo parecido) foi implantada e de forma inteligente sim, trazendo uma simples expressão de rosto cair na aprovação do público, parece que “de alguma forma nos dizendo novamente que em marketing muitas vezes o menos é mais”.

Texto: Mauricio Ferigato

One comment

  • Ótimo conteúdo e crítica compartilhada. Parabéns Ferigato por incentivar e reconhecer essas boas práticas nas ações de marketing. Acho que evoluiu bastante sim. Só lamento, os casos que existem todo um preparo para colocar na rua e a maioria insiste em links do Youtube para divulgação.

    Não foi o caso do Luan, que sempre utilizou seu site oficial como chamada para ação de suas campanhas. E nós aqui, estamos bem felizes de fazer parte de tudo isso sempre, desde 2008.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *